segunda-feira, 18 de abril de 2011

Arrume as malas, embarque e aproveite!

Hoje eu só queria compartilhar com vocês três dos meus vídeos favoritos!

Vale MESMO a pena ver!

Arrume as malas…

Embarque…

E aproveite!

 

Digo a bordo!

terça-feira, 12 de abril de 2011

Angola : Luanda : À espera de um remédio!

Que a dor de barriga me acompanha aqui em Angola todo mundo já sabe. Mas semana passada a dor de barriga virou diarréia crônica no melhor estilo come aqui, caga sai ali.

Tudo começou na madrugada de segunda para terça, quando acordei já sentindo uma cólica abdominal descomunal. Ainda fiquei uns 2 dias tentando remediar com soro caseiro, banana e biscoito água e sal. Pra ficar mais tranquilo, resolvi fazer uma consulta médica na Clínica Girassol, uma das mais bem conceituadas aqui em Angola. Impressionante, mal cheguei na clínica comecei a piorar drasticamente. Parece que o corpo “relaxou” e pensou: agora eu posso passar mal direito.

As cólicas eram realmente absurdas e comecei a sentir muito frio. Pra bom entendedor, a febre veio com tudo. Eu me debatia na cama da emergência. A estagiária enfermeira mediu minha temperatura: 40,2º. Me mandou na hora pro banho.

E eu fiquei lá, peladão, no meio de duas enfermeiras e 3 enfermeiros angolanos. Que situação constrangedora. A minha vontade era dizer: não é tão pequeno assim. É que tô morrendo de frio e essa água gelada diminui mais ainda. Afinal, competir com os negões é “mesmo complicoso”. Mas confesso que na hora pouco me lixei pra isso.

Resolveram me internar para me arrancar bastante dólar cuidarem melhor de mim. Febre vai, febre vem, já no segundo dia de internação, pedi para trocarem a veia do meu soro pois já estava doendo e ficando inchado. E eis que um troglodita que se disse anestesista veio realizar o procedimento. Num primeiro momento, o tamanho dele e a aparência me assustaram. Ele era a cara do negão do “À espera de um milagre”. Mas depois pensei: poxa, um anestesista deve saber pegar a veia rapidinho.


Conclusão: das duas uma, ou ele não era anestesista porra coisa nenhuma ou anestesistas não sabem pegar a veia rapidinho. Simplesmente ele me furou 3 vezes, sendo que uma delas, depois de a agulha estar dentro da veia, ele esbarrou com seu pé tamanho 48 (imagina o resto!) no fiozinho do soro e a agulha quase quebrou dentro de mim. Só sei que dei um berro que até a recepcionista da Clínica deve ter ouvido. Depois disso ele ficou todo sem graça e disse: é, isso acontece. A minha vontade era dizer: É, normal né, você quebrar a agulha dentro do paciente. Mas preferi ficar calado porque era ele a me furar ou não era ninguém. Na terceira tentativa ele conseguiu.

A comida até que não era ruim, mas eu tive que fazer dieta líquida durante os 2 dias, só pude comer um prato de comida “decente” na última noite.

IMG_0036

Depois destes 2 dias praticamente passando fome, me dei alta. É isso mesmo. Simplesmente o setor de Cobrança da Clínica não funciona nos finais-de-semana e por isso os médicos não dão alta nem sábado nem domingo. Eu já estava me sentindo bem melhor, a frequência ao banheiro tinha diminuído consideravelmente e não queria ter que vender pertences pessoais para pagar a conta. Então falei com a enfermeira: eu vou embora agora. Pouco tempo depois veio a médica:

-Rodrigo, a enfermeira falou que o senhor vai ter alta. Se a médica do plantão sou eu, quem te deu alta?

Eu respondi: Eu.

No final das contas, tive que assinar um termo de “recusa de tratamento” e deixar uma caução para voltar durante a semana e “fechar a conta”. Ainda não consegui ir lá, mas será que vão incluir os 10% do garçom?

Digo a Bordo!

"Ao retornar de uma viagem, não sei se o mundo diminuiu ou eu é que cresci."

Quer sugerir um destino? Tirar Dúvidas? Ou somente elogiar mesmo?
Escreva para rodrigofranco@digoabordo.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...