segunda-feira, 16 de abril de 2012

Paris : Palácio de Versalhes!

Depois de um dia inteiro na Eurodisney em plena Paris, muitos dirão: Mas que perca de tempo, Paris tem inúmeros atrativos culturais e históricos tão importantes e ele vai logo para a Disney? Pra compensar esse momento “futilidade”, partimos logo para o Palácio de Versalhes, berço de muita história e fatos marcantes.

Palácio de Versalhes

Chegar lá não é difícil, basta pegar um metrô, o RER linha C, e desembarcar na estação Versailles-Rive Gauche-Château. De trem, à partir da Gare Montparnasse, desça na parada Versailles-chantiers. A viagem dura cerca de 40 minutos.

Trem com destino ao Palácio de VersalhesTrem com destino ao Palácio de Versalhes

DICA: em Paris existe o Paris Visit Card, um passe livre para utilização de grande parte do transporte público em Paris. Existe a opção de incluir os arredores, como a Eurodisney, aeroporto de Orly e o próprio Palácio de Versalhes. Não existe fórmula, a melhor opção deve ser sempre analisada caso a caso. O que posso dizer é que as vezes se você só vai a Eurodisney e não vai ao Palácio, ou qualquer outra combinação, pode ser que valha a pena comprar o passe que só inclui o grande centro de Paris e pagar essa passagem por fora. Veja este link para a compra online deste passe!

Chegando no Palácio, prepare-se para enfrentar fila. Eu digo que Paris não é a cidade-luz, Paris é a cidade-fila. Culpa da cidade ser destino desejado por meio-mundo. Mas culpa também dos franceses,  eles com certeza não sabem organiza-las e muita gente fura fila na maior cara de pau. A nossa sorte é que, pelo menos, só enfrentamos uma das duas filas. A primeira é a da compra do ingresso. Como nós compramos o Paris Museum Pass, tínhamos acesso liberado ao Palácio. Mas a maior fila mesmo é a segunda, ficamos nela por uns 45 minutos. De novo: a compra de um passe, neste caso o passe dos museus franceses, deve ser analisado caso a caso. No nosso, caiu como uma luva, pois nos dava acesso a maioria dos museus e atrações que iríamos para dois dias, exatamente o período que precisaríamos.

Mas enfim, vamos começar?

O Palácio de Versalhes originalmente era o pavilhão de caça do Rei Luis XIII. Somente sob o reinado de Luis XIV que o Palácio foi construído, no momento em que se viu obrigado a transferir a sede do Reino para um local suficientemente afastado dos tumultos e doenças de Paris, na tranquilidade para poder governar de maneira absolutista, sem maiores interferências da população.

A obra durou décadas e, após finalizada, o palácio se tornou o maior do mundo para seu tempo, com 2.153 janelas, 67 escadas, 352 chaminés, 700 quartos, 1.250 lareiras e 700 hectares de parques e jardins. Esta maravilha da arquitetura francesa e opulência da Monarquia Absolutista Francesa pode e merece ser visitada!

Detalhe dos PortõesPalácio de Versalhes

Os destaques são para os aposentos reais, ainda com decoração e mobiliários originais, a Capela de Versalhes e a Galeria de Espelhos, uma comprida sala composta por janelas de um lado e espelhos do outro, refletindo a vista exuberante dos jardins de Versalhes, outro ponto alto! Foi nesta sala que, em 1919, foi ratificado o tão famoso Tradado de Versalhes, fim oficial da Primeira Guerra Mundial, onde a Alemanha foi responsabilizada por iniciar a grande guerra.

Aposentos ReaisCapela de VersalhesGaleria dos EspelhosJardins de Versalhes

Famosas pinturas e afrescos também fazem parte da decoração interna do Palácio e merecem atenção especial, pois ajudam a entender a história da monarquia da França.

DSC_0106DSC_0110

Depois de Luis XIV, ainda residiram no Palácio dois Reis, o Luis XV e seu sucessor, Luis XVI. Com o advento da Revolução Francesa, em 1789, o Palácio foi abandonado e muitos de seus móveis, objetos de decoração e obras de arte foram ora transferidos para Museus, ora roubados ou vendidos a baixo custo. Uma das obras de arte mais famosas do mundo, a Monalisa, foi parar no museu do Louvre depois de ser transferida deste palácio.

Ah, vá preparado para andar, andar e andar, dentro daquele labirinto de salas e aposentos. Vale muito a pena, mas é cansativo. De lá, fomos almoçar por ali em Versalhes mesmo e depois partiríamos para a Torre Eiffel e o Arco do Triunfo, para fechar o dia em grande estilo!

DSC_0098DSC_0107

[Continua]

2 comentários:

  1. Oiiiiii, Cadê vc?...acabaram as aventuras?
    Estava tudo tão divertido, volta, me divirto muito lendo seus post.
    Bjx de Angola

    ResponderExcluir
  2. Esse é meu agente de viagens preferido!!!
    =)

    Tá tão ocupada q nem atualiza o blog!
    Te amo.

    Bjs

    ResponderExcluir

Digo a Bordo!

"Ao retornar de uma viagem, não sei se o mundo diminuiu ou eu é que cresci."

Quer sugerir um destino? Tirar Dúvidas? Ou somente elogiar mesmo?
Escreva para rodrigofranco@digoabordo.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...