quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Irlanda : Tentando chegar em Dublin!

Em um dos finais de semana que passei em Londres, decidi ir para Dublin. Queria comprovar se a fama da cidade era verdade. Que fama? A de que é bebida e farra a noite toda!

Na ânsia de aproveitar cada segundo de Londres, nos atrasamos para pegar o ônibus que nos levaria par o aeroporto. Mal chegamos na Victoria Station o ônibus havia saído. O próximo sairia em meia hora, o que certamente faria a gente perder o voo. Sem pestanejar, entramos em um táxi. O clima foi tenso, pedi pro motorista enfiar o pé no acelerador e fazer o caminho mais rápido pois tínhamos um voo que saia dentro de menos de 2 horas, sendo que o aeroporto fica a 1 hora e meia do centro da cidade. Para aumentar o suspense, no meio do caminho o motorista disse que tinha que parar para abastecer. Eu quase fiquei maluco.

De 1 em 1 minuto eu olhava para o relógio, olhava pro localizador do meu celular e para o marcador do valor da corrida. A cada minuto que passava e a cada pound que subia, meu coração vinha na boca. Eu, tão planejado nas minhas viagens, me recusava a aceitar a possibilidade de perder um voo por atraso. Mas o que eu mais não acreditava era como meus companheiros de viagem conseguiam ficar tão despreocupados a ponto de dormir e sorrir para a foto! NÃO!

DSC_0151DSC_0153DSC_0154

Chegamos no aeroporto com 40 minutos para a decolagem. A corrida nos custou 150 pounds! Se conseguíssemos pegar o voo, teria valido a pena. Se não, eu ficaria muito P$%” da vida! Fomos correndo para o balcão da Ryanair e tão logo chegamos já faziam a última chamada de check-in para nosso voo! Mas ainda teríamos que atravessar a verificação de bagagem e imigração. Mas no melhor estilo sem emoção não tem graça, conseguímos!

Desembarcamos na cidade já com a noite querendo começar a cair. Compramos o bilhete do ônibus que liga o aeroporto ao centro e o ticket do ônibus turístico que usaríamos no domingo e partimos.

DSC00942DSC00945

Chegamos no flat (muito bem localizado por sinal), tomamos banho e fomos pra rua, afinal era sexta-feira. Mapa na mão, tínhamos um destino em mente: Temple Bar, a famosa rua dos Pubs de Dublin. Essa noite seria só um esquenta. Na manhã do dia seguinte iríamos fazer um passeio que duraria todo o dia e precisávamos estar descansados. Mas mesmo assim não deixamos de aproveitar. Na verdade estávamos mais preocupados em comer do que beber. Opções não faltavam, desde o clássico Hard Rock Café até os pubs tradicionais. Não escolhemos nem um nem outro, decidimos entrar em um restaurante mais estiloso chamado Morgan Bar.

DSC00989DSC00979

É impressionante como o nome que damos as coisas influenciam totalmente nossa percepção sobre elas. Dentre inúmeros pratos, escolhi um que parecia bem chique: creme de batatas irlandesas ao molho napolitano com generosas esferas de filet mignon australiano. E o que chegou? Um purê com almôndegas. Não estava ruim, mas…

DSC00973DSC00976

Barrigas devidamente preenchidas, partimos para o reconhecimento do local. Bastou 5 minutos por lá para comprovar que o povo é animado e bebe mesmo. E muito! Será que amanhã à noite seria nossa vez de beber até cair? Quem viver, verá.

DSC00992DSC01002

Voltamos para o flat e apagamos. Apenas pouco mais de 5 horas depois, já estávamos de pé para nos juntar a excursão que nos levaria aos Cliffs of Moher, uma imensa cadeia de penhascos a oeste de Dublin.

[Continua]

Um comentário:

  1. Xiii, agora fiquei curiosa em conhecer Dublin...quem sabe não seja a minha próxima parada!

    ResponderExcluir

Digo a Bordo!

"Ao retornar de uma viagem, não sei se o mundo diminuiu ou eu é que cresci."

Quer sugerir um destino? Tirar Dúvidas? Ou somente elogiar mesmo?
Escreva para rodrigofranco@digoabordo.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...