domingo, 6 de novembro de 2011

Irlanda : Dublin : Temple Bar!

Mesmo exaustos de um dia inteiro dentro de um ônibus, voltamos da excursão e fomos direto tomar banho para curtir a noite de Dublin. Na noite anterior fizemos um breve reconhecimento do local, mas era hoje que de fato íamos curtir a famosa Temple Bar.

Temple Bar é o nome do reduto boêmio de Dublin. Seu nome vem, segundo os historiadores, de uma importante família que morou por lá no século XVII. A primeira aparição oficial foi em um mapa de 1673. A área possui uma forte veia cultural, com institutos de arte, música, cinema e fotografia. Mas é quando a noite cai que sua verdadeira essência exala: o álcool.

Como não paga nada pra entrar, só paga o que consumir, a ideia era pular de pub em pub para conhecer o maior número de bares em uma só noite. E foi assim que fizemos.

Vat House Bar

O Vat House Bar é um pub irlandês tradicional. Seu nome vem das cubas de cobre que armazenam a cerveja Guiness em seu processo final de fabricação. Sua decoração reflete esse processo de maturação e desenvolvimento, com piso e revestimento de madeira resgatado da própria fábrica.

DSC_0423DSC_0437DSC_0429

Como foi nossa primeira parada, aproveitamos para jantar. O pub oferece pratos tradicionais irlandeses, como o fish & chips (que por sinal foi a minha escolha), bem como vários pratos internacionais.  Uma seleção muito boa de vinhos e enorme variedade de uísques irlandeses e espirituosos também estão disponíveis.

DSC_0428DSC_0430DSC_0433

Oliver St. John Gogarty

Construído no final do século XIX, esse pub é parada obrigatória. Sua fachada colorida é um excelente ponto para uma boa foto de recordação. Seu nome se deve ao poeta, autor, atleta, político e cirurgião (ufa!!!) de mesmo nome. Figura emblemática, surgiu de inspiração para um personagem do famoso escritor James Joyce, também irlandês.

DSC01098DSC01143DSC01103

No primeiro andar do pub existe apresentação de música típica irlandesa, o folk. Além dos turistas, é um bom lugar para ver os nativos e observar seu comportamento. Quer dizer, observar suas canecas extra grandes cheias de cerveja.

Ah, se seu objetivo em Dublin é somente beber e beber e beber, em cima deste bar existe um hostel. Ótima pedida para aqueles que normalmente bebem e perdem o caminho de casa.

Quays

Dos pubs que fomos, esse era o mais animado. A dupla tocava música ao vivo, um pouco mais pop que nos outros bares. E a galera estava bem animada. Foi neste bar que encontramos um local vestido com a camisa do Brasil. Além de já nos chamar a atenção, o cara era muito alto. Ele tinha no mínimo 2 metros! Ficamos batendo papo com ele, falando sobre o Brasil (futebol, praia e mulheres). Foi a vingança irlandesa. Não entendeu? Leia o artigo anterior.

DSC01107DSC01106DSC01115

Foi neste bar também que tomamos uma espécie de sidra de morango e limão. Na verdade estávamos bebendo cerveja comum quando fui apoiar o copo na bancada e vi uma garrafa vazia que trazia impresso um morango e um limão juntos. Pensei: caramba, que diferente! Tínhamos que experimentar! Apesar de um pouco doce pro meu paladar, ela era bem gostosa, viu? O azedinho de um quebrava o doce do outro.

DSC01109DSC01114

The Temple Bar

Para finalizar a saga dos pubs, partimos para o mais que tradicional pub chamado The Temple Bar, ganhador do prêmio de Melhor Pub com Música Irlandesa do Ano de 2002 até 2011. A música, pro meu gosto, estava bem desanimada, na verdade. Não sei se chegamos num momento mais intimista do show da cantora, mas se ficássemos mais 10 minutos lá dentro cortaríamos nossos pulsos. Ficamos por lá pouco tempo, só para dizer que fomos.

Dentro do bar, que foi fundado em 1840, existe um jardim para fumantes, o que eu não vi nos outros. Fora isso, mesmas cervejas. Mas, óbvio, é visita obrigatória.

DSC01118DSC01122DSC01124

Fitzsimons

Depois de passar de bar em bar, resolvemos entrar em alguma discoteca. No final da rua Temple Bar achamos uma, a Fitzsimons, que parecia estar bem cheia e com boa música (esta discoteca é no mesmo estilo do pub Oliver, com hotel em cima. Eu fico imaginando o barulho que deve ser na hora de dormir). Nossa cota de música local e cerveja estava terminada! Queríamos tequila e música dançante. E conseguimos.

DSC01135DSC01139DSC01140

Umas 3 e meia da manhã nossos corpos começaram a pedir arrego. Afinal, estávamos já exaustos do ritmo frenético de conhecer uma capital e aproveitar tudo que ela tem de bom para oferecer em apenas 2 dias. Voltamos em direção ao nosso flat e fomos passando novamente na porta dos pubs que entramos. As pessoas continuavam da mesma maneira que as deixamos, bebendo!

Paramos em uma lanchonete para comer um hot-dog e, no pouco tempo que ficamos ali, pude comprovar uma das teorias que já havia lido em um livro sobre a noite de Dublin: fique parado 5 minutos na Temple Bar que você certamente ouvirá soar o alarme de uma ambulância a caminho do resgate de mais um bêbado.

DSC01142

Mesmo que você não beba, nenhuma viagem a Dublin é completa sem experimentar a atmosfera e a emoção da Temple Bar. Então venha e aproveite a diversão, seja com Coca-cola, seja com Guiness. Como eles mesmos dizem: CRAIC!

DSC01127

[Continua]

2 comentários:

  1. Caraca maluco...... como eu sempre estou sóbria, fiquei até com vontade de me embebedar! kakakakakakaakak

    Adorei as fotos e o lugar! Eu querooooooooooooo!!!

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Adorei o Blogger!! Já que não podemos viajar (por enquanto) podemos imaginar um pouco (disso tenho certeza, pois deve haver muito mais) da cidade!!!

    Parabéns!

    ResponderExcluir

Digo a Bordo!

"Ao retornar de uma viagem, não sei se o mundo diminuiu ou eu é que cresci."

Quer sugerir um destino? Tirar Dúvidas? Ou somente elogiar mesmo?
Escreva para rodrigofranco@digoabordo.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...