sábado, 8 de outubro de 2011

Inglaterra : Londres : Melhores momentos!

Como já é de costume, ao final de cada viagem faço um vídeo com as melhores fotos! Quem se dão bem são os amigos que viajam comigo e ganham o vídeo de presente! 

Deem uma olhada:






Abaixo seguem todos os links dos artigos sobre a Inglaterra:

Inglaterra : Londres : The London Dungeon & Tower of London!
Inglaterra : Londres : Madame Tussauds!
Inglaterra : Londres : Notting Hill & Portobello Market
Inglaterra : Londres : Entrando numa fria no Ice Bar!
Inglaterra : Londres : Chicago e os musicais de Londres!
Inglaterra : Londres : Palácio de Westminster, Big Ben e Abadia de Westminster!
Inglaterra : Londres : London Eye!
Inglaterra : Londres : O Palácio de Buckingham e a Troca da Guarda!
Inglaterra : Londres : Pubs & Clubs
Inglaterra : Londres : Natural History Museum e o Terremoto!
Inglaterra : Londres : Tiger Tiger e onde comer (ou seria “não comer”?)
Inglaterra : Londres : Harrod’s e onde comer (ou seria “não comer”?)
Inglaterra : Londres : EF Welcome and OXO Tower!
Inglaterra : Londres : Host Family!
Inglaterra : Londres : Pub Crawl!
Inglaterra : Windsor, Stonehenge & Oxford
Inglaterra : Londres : Wireless Festival Parte II
Inglaterra : Londres : Wireless Festival
Inglaterra : Londres : O atentado terrorista e a cama mais cara do mundo!
Inglaterra : Southampton & Londres : O atentando terrorista!

Inglaterra : Londres : British Museum

E a última parada deste blog em Londres é no British Museum, um dos museus mais conhecidos do mundo, com um acervo de mais de 7 milhões de itens. Possui uma infinidade de artigos dos períodos romanos e gregos, sem falar ainda nos artigos egípcios.

DSC_0300DSC_0302

Dentre as peças mais importantes, figuram a Pedra de Roseta e os Mármores de Elgin, ambos alvo de polêmica. Tanto o Egito quanto a Grécia, respectivamente, tentam trazer estas relíquias de volta para os seus países de origem. Mas se você não sabe nem nunca ouviu falar nestas duas, fique tranquilo, eu também não conhecia, mas após a visita ao museu passei a conhecer e vou compartilhar com vocês (mas que pretensão a deste rapaz!).

A Pedra de Roseta é um marco no estudo da história da civilização do Egito Antigo. Foi com ela que os historiadores conseguiram decifrar muitos dos hieróglifos do idioma egípcio. Ela possui um mesmo texto escrito em três idiomas: o superior está escrito em hieróglifos egípcios, o do meio em demótico e o terceiro em grego antigo. Com isso,comparando os textos e seus significados, pode-se entender o que certos hieróglifos egípcios até então indecifrados significavam. A Pedra, como seu nome sugere, foi encontrada na cidade de Roseta, em 1799, as margens do Nilo, por um soldado francês. Em 1801, tropas britânicas derrotaram as tropas francesas no Egito e, de quebra, levaram a famosa Pedra, que se encontra em poder dos britânicos até hoje.

DSC_0320DSC_0305DSC_0308

Já os Mármores de Elgin são um conjunto de peças que faziam parte da decoração do Partenon grego, templo da deusa Atena, construído no século V A.C. O Partenon é o mais conhecido dos templos gregos, tendo sido construído e ornado com o que havia de melhor na arquitetura da época. Em 1806, com autorização de um sultão grego, mais da metade das esculturas e peças decorativas do que restou deste templo foram levadas para a Inglaterra e desde então estão expostas no museu.

DSC_0324DSC_0325DSC_0336

Mas e então, o que vocês pensam a respeito disso? A quem pertence estas e muitas outras relíquias? A seus países de origem ou aos museus que pagaram por elas ou que até mesmo se apropriaram em períodos de guerra sem pagar nem um centavo?

Polêmicas a parte, acabei me interessando por duas seções menos comuns do museu, a dos relógios e das moedas. Cada peça sensacional que vale a pena a visita! Uma delas me chamou muito a atenção, um relógio em formato de barco, todo ornado nos seus mínimos detalhes com um ouro super reluzente.

DSC_0354DSC_0353DSC_0361

Falando em relógio, infelizmente era chegada a  hora de partir! Não só do museu, mas como de Londres. As duas semanas que passei na capital da Coroa Britânica não foram suficientes para fazer tudo aquilo que gostaria, o que não me deixa outra alternativa a não ser voltar, dentro em breve!

DSC_0386DSC_0366

[Continua, em Dublin!]

Inglaterra : Londres : The London Dungeon & Tower of London!

Durante o planejamento da viagem, descobri uma atração que se vendia como a mais aterrorizante de Londres. É o The London Dungeon, um museu que conta a história dos últimos 1000 anos de Londres através do terror. Como existia a possibilidade de comprar o ticket combinado com a London Eye e o Madame Tussauds, não pensei duas vezes. Mas, infelizmente, o que mais me aterrorizou nesse museu foi sua fila. Demoramos mais de 2 horas para entrar na atração e, lá dentro, que decepção, não era nada daquilo que esperávamos!

DSC_0293DSC_0294

Eu me recuso a falar mais de dois parágrafos sobre o The London Dungeon. Tinha tudo para ser um passeio ao mesmo tempo divertido e enriquecedor, já que conta a história de personagens e acontecimentos bem interessantes, tais como o Jack Estripador, Blood Mary e o Grande Incêndio de 1666. Mas não foi, nem de longe. As partes assustadoras nos faziam rir de arrependimento e, aí já um problema meu, a linguagem técnica e o sotaque bem acentuado dos atores dificultavam o entendimento.

DSC01488DSC01495

Resumindo: é uma atração para crianças fluentes no Inglês. E olhe lá.

A única coisa que salvou o passeio foi o a última etapa, que é um brinquedo que te coloca em queda-livre. A altura é bem baixa, mas como estávamos tão desanimados, até que nos surpreendeu e deu para tirar um sorriso do rosto. Sem falar na foto, que ficou muito engraçada!

DSC02256[4]

Ah, no final do passeio, dentro da lojinha de souvenirs, tinha um vendedor brincando com um rato de verdade! Nós perguntamos se podíamos pegar nele e ele disse que sim, e que não tinha que pagar! Isso foi legal também, mas eu não precisava ter ido até Londres para brincar com um ratinho né?

DSC01496DSC01500DSC01501

Infelizmente, por conta de ter perdido quase 4 horas da nossa tarde neste museu, não tivemos tempo de visitar a Torre de Londres, que fica ali pertinho. Eu acho que teria sido muito mais proveitoso, já que o castelo já foi Corte, já foi prisão e hoje abriga as jóias da Coroa. O que não falta é história para contar! Sem falar que já é a segunda vez que vou a Londres e que algo acontece para que eu não consiga visita-la. Vou ter que voltar lá de novo! Que chato, né?

DSC01505

P.s.: Alguém acreditou que eu ia conseguir escrever só 2 parágrafos? Nem eu.

[Continua]

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Inglaterra : Londres : Madame Tussauds!

A possibilidade de se estar cara a cara com seu grande ídolo, mesmo sendo de mentirinha, atrai o interesse de muita gente. E é para realizar essa fantasia que os Museus de Cera existem. O mais famoso, sem dúvida, é o Madame Tussauds.

DSC_0193

A história deste museu se confunde com a história de sua criadora, a própria Madame Marie Tussaud. Nascida na França, ela participou ativamente da Revolução Francesa, conhecendo grandes nomes da época, tais como Napoleão Bonaparte e Robespierre. Tussaud chegou a ser presa e teve sua cabeça raspada para ir a guilhotina, mas aos 45 do segundo tempo foi libertada! Após sua salvação, ela foi encarregada de produzir os famosos bustos da morte para ilustres vítimas da guilhotina, dentre eles, Louis XVI, Marie Antoinette, Marat, e Robespierre. Sua facilidade em reproduzir as faces em cera foi adquirida através de ensinamentos de seu antigo patrão, que acabou se tornando um grande amigo e mentor.

Após a Revolução Francesa, Tussaud, impossibilitada de voltar para seu país, se estabelece em Londres, onde acaba sendo convidada para expor muitas de suas criações. Depois de alguns anos, cria sua própria exibição permanente, em Baker Street. Em 1842, Tussaud cria seu próprio busto de cera, que hoje se encontra em exibição logo na entrada de seu museu. Morre em Londres em 1850, enquanto dormia, na altura de seus 88 anos.

Uma história fascinante de uma mulher que criou um museu que atrai multidões e que possui várias filiais ao redor do mundo. Mas a original é a de Londres e é pra lá que eu vou!

O museu é dividido em várias seções. As mais concorridas são a dos artistas de cinema, dos esportistas famosos, dos líderes mundiais e da Corte Britânica, esta exclusiva do acervo de Londres. Conclusão: prepare-se para enfrentar filas para tirar fotos com bonecos de cera, como se fossem pessoas de verdade! Mas tente não se estressar, assim como você, todo mundo quer um segundinho do lado de seus ídolos. E aproveite para brincar com eles! Você não vai ser preso por bulinar a Beyoncé, nem espreitar por debaixo da saia da Marilyn Monroe, nem colocar os pés na mesa do Obama.

DSC_0233DSC_0240DSC_0272DSC_0280DSC_0267DSC01453

Ao chegar ao fim das galerias, existe a Câmara do Horrores. É um labirinto daqueles que se vai caminhando, com atores fantasiados, querendo te assustar. Nada de tão aterrorizante, mas que te deixa com frio na barriga com medo do que pode estar por vir. Mas se você não curte este tipo de atração, fique tranquilo, você não é obrigado a passar por ela. Ah, lá dentro encontra-se a guilhotina que matou Maria Antonieta!

DSC01473DSC01476

Como última atração do museu, você encontrará o Spirit of London. Você senta naqueles carrinhos de trem-fantasma, que na verdade é um táxi londrino, e percorre um grande percurso que conta a história de Londres, começando na Dinastia Tudor, passando por Shakespeare, O Grande Incêndio, a Revolução Industrial, até os badalados anos 60! Atenção, sorria para a foto que é tirada perto do fim do brinquedo e, se achar que valeu a pena, compre no desembarque!

DSC01480DSC01483

Dica: Quem administra atualmente o Museu é a Merlin Entertainments, mesma empresa que administra a London Eye e algumas outras atrações de Londres. Como eu disse antes, vale a pena comprar tickets combinados para mais de uma atração. Eu comprei um que valia para três: a London Eye, o Madame Tussauds e o London Dungeon, assunto do próximo post.

[Continua]

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Inglaterra : Londres : Notting Hill & Portobello Market

Se você tem tempo sobrando em Londres, uma boa opção de passeio é ir até o bairro chamado Notting Hill. O bairro ganhou popularidade mundial após o sucesso dos cinemas com o filme que leva seu nome, Notting Hill,  estrelado pela Julia Roberts e pelo Hugh Grant. O filme foi rodado quase que em sua totalidade por lá, então é comum encontrar fãs tirando fotos nos locais de filmagens, como a tal porta azul do flat do Will, personagem do Hugh Grant, que já foi pintada de preto, ou até mesmo sua livraria, que hoje é uma loja de sapatos. Se você é uma menina apaixonada e que chorou horrores comendo uma panela de brigadeiro assistindo ao filme, a visita é imperdível. Se você é o namorado dessa menina, boa sorte!

190961.1020.A9182339

O bairro em si não tem nada demais (as meninas vão me matar!). É bonitinho, agradável, charmoso. E só. Muitos outros bairros de Londres são bem parecidos. Mas tudo bem, por ser um bairro famoso, vale a visita.

DSC_0123DSC_0137

É na sua rua principal, a Portobello Road, que funciona o Portobello Market. Lá a rua está dividida em três seções: a primeira, é a sessão de artigos de antiguidade e colecionadores. Eu me amarrei em várias peças, que iam desde antigas placas publicitárias de cervejas e refrigerantes a miniaturas de carros antigos e tudo o mais! Deixei para comprar alguma coisa na volta!

A segunda seção da rua é onde estão os restaurantes. Preferi passar direto e ir para a terceira e última parte, a das lojas de roupas, tanto novas quanto de segunda mão. Não espere ir lá para comprar roupas muito comuns, normalmente você encontrará roupas mais descoladas e estilosas, muitas vezes feitas quase que de maneira exclusiva, o que é excelente! E o preço é bem convidativo! Mas se você prefere lojas mais conhecidas, também encontrará boas opções. Uma delas é a All Saints, que consegue ser transada e clássica ao mesmo tempo. Um exemplo disso é que ela usa em sua decoração um monte de máquinas de costura e já disponibiliza todo o catálogo da loja em iPads que ficam junto das roupas.

DSC_0135DSC_0136

De todas as lojas que eu passei, uma me chamou a atenção pelo seu colorido. Entrei e fui impregnado por um cheiro maravilhoso. E pra completar, a simpatia quase que milagrosa da vendedora me conquistou. A loja, que se chama Lush, era de produtos artesanais de higiene e beleza e possui toda uma preocupação com a natureza. A vendedora me demonstrou vários produtos, testou sabonetes na minha pele e me deu de presente um potinho de creme. E olha que eu ainda não tinha comprado nada. Acabei comprando algo, não só em forma de agradecimento, mas também porque valia a pena! A moça ainda comentou que um dia já houve uma filial dessa loja no Rio, mas que havia fechado por não ter ido bem. Não consegui confirmar essa informação, mas se for verdade, é uma pena.

DSC_0125DSC_0126

Como eu disse, deixei para comprar alguma peça dos antiquários na volta da caminhada. E para minha surpresa e tristeza, as lojas já estavam fechadas. Pois é, se você pensa que está em Londres, uma das maiores cidades do mundo, e que ela não fecha, você está enganado! Tanto as lojas, quanto os museus e atrações de Londres, sejam em Notting Hill, sejam em qualquer outro bairro, começam a fechar as 5 da tarde e as 6 já estão quase todas de portas arriadas. Salvo algumas raras exceções (uma delas é a Oxford Street, grande centro de compras, mas que ficará para um outro post).

Sai de lá com vontade de voltar. Confesso que não por causa do glamour do filme, mas sim por causa da plaquinha de ferro que anunciava a Coca Cola nos anos 30, que deixei ficar no Antiquário. Mas quem sabe um dia eu volte lá e compre.

DSC_0129DSC_0133

Ah, vale lembrar que o bairro sempre foi e continua sendo um bairro das minorias: negros, indianos e afins. No filme essa realidade foi mascarada e os figurantes eram todos branquinhos e bonitinhos.

E agora faço uma súplica: POR FAVOR, eu sei que ninguém é obrigado a falar Inglês, mas o filme e o bairro se chamam NOTTING HILL, com dois T´s, e não NOTHING HILL. Combinado? Obrigado!

[Continua]

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Inglaterra : Londres : Entrando numa fria no Ice Bar!

Ainda no clima noturno, uma outra excelente opção de um passeio diferente é ir no Ice Bar. Sim, é um bar de gelo!

A ideia é que você entre em um ambiente onde as paredes, o bar, as mesmas e até mesmo seu copo é feito totalmente de gelo!

DSC_0143DSC_0150

O Ice Bar é o único bar permanente feito de gelo em todo o Reino Unido. E olha que este gelo não é qualquer um! Ou você acha que eles fazem tudo aquilo no freezer e com forminhas de plástico? Claro que não! Todo o gelo que está lá vem de longe, de um rio congelado ao Norte da Suécia. Dizem que a pureza deste rio é única no mundo! Incrível né? Cada ano os designers e escultores de gelo constroem um cenário diferente!

DSC_0183DSC_0188

Antes de entrar, eles te dão uma capa térmica com direito a capuz e luva para que você consiga suportar os 5 graus negativos do interior do bar! Você tem direito a ficar 40 minutos lá dentro. É pouco? Fique tranquilo, faz tanto frio que dentro de no máximo 15 minutos você já vai sentir seu nariz ficando gelado. Se for fraco pro frio, vai procurar logo a porta de saída! Detalhe: Esse bar não é para você se embebedar, já que as bebidas são bem caras. Curta o momento com seus amigos, tire bastante foto e pronto, vai se embebedar em outro!

DSC_0154DSC_0158

Quando você faz a reserva (é muito concorrido!), terá que escolher entre um drink simples ou uma taça de champanhe! Óbvio que champanhe é mais caro e óbvio que nós escolhemos a champanhe (que metidos!). A tal taça a que me referi é um copo de gelo, que você vai quase deixar cair por várias vezes. Imagina segurar um copo de gelo, escorregadio, com uma luva? Ah, detalhe: se você quebrar seu copo, terá de pagar 4 pounds! Portanto, CUIDADO. Mas pior que segurar o copo, é tirar foto! Ai não vai ter jeito, você vai precisar ser forte e tirar a luva!

DSC_0152DSC01337

A ida neste bar não estava nos planos, mas valeu muito! Pena que não pude trazer um copo de souvenir! (Os motivos pelos quais não pude trazer o copo são óbvios né?)

DSC01311

Informações Úteis:

O Absolut Ice Bar fica em uma viela meio escondida em uma transversal a Regent St, na rua Heddon St. O metrô mais próximo é o Oxford Circus.

Não chegue atrasado ao horário agendado. A sessão é pontual e se você chegar 5 minutos antes de terminar seu horário, só vai poder ficar lá dentro 5 minutos! Um amigo se atrasou e não teve desculpa!

Do lado de fora do bar de gelo funciona um restaurante comum, chamado Below Zero, onde você pode aproveitar e jantar ou simplesmente tomar um outro drink para aquecer! Em frente ao bar, existem diversas opções de restaurantes super refinados e a um preço não tão salgado!

Para reservar, acesse o site http://www.belowzerolondon.com/icebar-booking.php.

DSC01367DSC01370

P.s.: Não inclui a dica deste bar no post sobre os Pubs & Clubs pois o Ice Bar é praticamente um ponto turístico e não um bar, né?

[Continua]

Digo a Bordo!

"Ao retornar de uma viagem, não sei se o mundo diminuiu ou eu é que cresci."

Quer sugerir um destino? Tirar Dúvidas? Ou somente elogiar mesmo?
Escreva para rodrigofranco@digoabordo.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...