domingo, 13 de março de 2011

Angola : Luanda : O dia em que eu andei de candonga!

Depois do sufoco que eu passei, acordei 9 e meia da manhã pra “correr atrás” do conserto do carro. Liguei para o motorista da empresa e ele veio até a minha casa para pegar a chave e ir até ele. Fiquei com “pena” dele ir sozinho e me achei na obrigação de acompanhá-lo. Até ai, nada demais. Mas o problema: ele não tem carro! Ele iria de candonga!

Como eu já falei logo quando eu cheguei aqui, a candonga é o transporte público mais importante em Angola. Na verdade os angolanos chamam de táxi. Muitos nem sabem que entre os brasileiros esse transporte é conhecido como candonga E por incrível que pareça nem o Google e nem a wikipedia sabem! Se algum conhecedor da origem do termo pintar por aqui, nos informe, ok? Mas enfim, de onde vem a associação não importa, o que importa é que depois de quase 1 ano em Angola eu iria finalmente estreiar na candonga!

Confesso que me preparei psicologicamente para esse momento. Se vocês estão se perguntando o porquê dessa ênfase toda, dá uma olhada na foto abaixo para vocês verem mais ou menos o que é!

 DSC05674 IMG_1464

Agora tenha uma certeza: tem mais gente dentro dessas candongas do que você imagina! Se bobear, nessas fotos, tem mais gente dentro delas do que fora! Sacou o lance?

Fomos pro “ponto” esperar uma das que fazem o trecho que nós precisávamos. Simplesmente meu motorista escolheu a dedo a candonga. A MAIS CHEIA. É como diz o outro, andar de candonga vazia é que nem ir no puteiro e pedir um abraço! Não tem graça!

Tinha um lugar no fusuê do banco de trás e 1/4 de um lugar no banco da frente, que é a área VIP. Meu motorista me fez a gentileza de ceder o lugar na frente. A gorda (não é preconceito, é FATO!) que estava ocupando 75% da área útil do meu banco não se deu nem ao trabalho de fingir que chegou um pouco pro lado. Eu tive que me zipar (neologismo!) pra caber ali! Fui com praticamente metade do corpo pra fora do carro.

 P12-03-11_11-48[1] P12-03-11_11-45[1]P12-03-11_11-49

Cara, é mais ou menos como no Brasil: imagina você numa kombi lotada (ou perua, em Sp), saindo da Central do Brasil, indo pra Queimados, bem na hora do rush? Todo mundo suando, fedendo, gritando. Tem gente levando panela, cabrito, cadeira. Qualquer coisa!

Bom, o percurso era curto, em uns 10 minutos já tínhamos descido.

O carro continuava sem pegar e tivemos então que improvisar um reboque para levar até a oficina mais próxima. E agora aqui estou eu, sem carro, sem poder sair de casa, mas com mais uma experiência pra contar! Andar de candonga sem dúvidas foi uma experiência cultural, sociológica e antropológica!

9 comentários:

  1. Deus me livre andar num troço desses.... tenho pavor de gente porca, gente berrando, gente suja sentada e, pior, encostada em mim!

    Teu lugar no céu está garantido... tenho certeza. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para sua informação nem todo mundo que anda de candongueiro é porca e suja, tem muita gente de família que anda nesse meio de transporte sua ignorante.

      Excluir
  2. Sai de casa amigão, vai de candonga mesmo... Hoje é Domingo, dia da Igreja vai ser um outro níííííííííível de passageiros..

    ResponderExcluir
  3. hahahahahahaha... Eu ainda não sei porque chamamos essas vans de candongas. Será que um dia alguem pessou que elas faziam um transporte irregular? Li que candonga significa qualquer tipo de comércio ou negócio irregular. Vai saber...
    Bem amigo, a nível de Luanda também quero dar minha volta na candonga... e como vc já tem experiencia no assunto... vai me acompanhar, hein?! hehehe
    Beijooos

    ResponderExcluir
  4. hahahahahhaa.... mto boa!
    esses tipos de perrengue dão ótimos posts!

    ResponderExcluir
  5. Aiii amigooo, que perrengueee! Assim....van, candonga, tudo junto e misturado...deve ser uma merda mesmo! masssss, pelo menos tenho notícias de vc.... viu as fotos com o colar da borboletaaaaa? é lindo..... amo vcs....saudades dos meus amigos lindoss! fica com Deus e boa semana!

    ResponderExcluir
  6. ahhahaha! eu já estive no encruzamento (rotunda???) da primeira foto, e engarrafou tanto que não passava nem gente a pé!
    E já andei muito de candonga... é tempo bão!

    ResponderExcluir
  7. Já andei muito de candonga. É um tradição.
    E já estive no entroncamento da primeira foto. Não passava nem gente a pé (sem exagero!!). Um soldado saiu de um carro com uma A K 47 e começou a ordenar o trânsito. Ai a coisa andou...

    ResponderExcluir
  8. kkkk eu costumo dizer que uma pessoa que consegue sobreviver em Angola, vive em qualquer parte do mundo!!!
    E olha que eu sou angolana e sei que não é fácil (não ando de candongueiro a uns 8 anos).

    ResponderExcluir

Digo a Bordo!

"Ao retornar de uma viagem, não sei se o mundo diminuiu ou eu é que cresci."

Quer sugerir um destino? Tirar Dúvidas? Ou somente elogiar mesmo?
Escreva para rodrigofranco@digoabordo.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...