sexta-feira, 16 de julho de 2010

Angola : Luanda : Lápis x Teclado

Depois da morte do José Saramago, eu só ouvia uma coisa:
"Com tanto Paulo Coelho pra morrer, foi morrer logo um José Saramago?"

Eu confesso que tenho uma birra com o Paulo Coelho. A "pessoa pública" dele me parece muito presunçosa. Mas a verdade é que o único livro que li dele (e primeiro de sua carreira), O Diário de um Mago, eu gostei bastante.
Então resolvi dar uma chance a ele (acho que também sou muito presunçoso) e ler mais um livro: Ser como o Rio que flui.

Um dos textos que tem nesse livro me agradou bastante para me fazer pensar sobre o assunto e o sucifiente para replicá-lo aqui:

A História do Lápis

O menino olhava a avó escrevendo uma carta.
A certa altura, perguntou:
- Você está escrevendo uma história que aconteceu conosco?
E por acaso, é uma história sobre mim?
A avó parou a carta, sorriu, e comentou com o neto:
- Estou escrevendo sobre você, é verdade.
Entretanto, mais importante do que as palavras,
é o lápis que estou usando.
Gostaria que você fosse como ele, quando crescesse.
O menino olhou para o lápis, intrigado, e não viu nada de especial.
- Mas ele é igual a todos os lápis que vi em minha vida!
- Tudo depende do modo como você olha as coisas.
Há cinco qualidades nele que, se você conseguir mantê-las,
será sempre uma pessoa em paz com o mundo.


"Primeira qualidade:
Você pode fazer grandes coisas,
mas não deve esquecer nunca que existe uma Mão que guia seus passos.
Esta mão nós chamamos de Deus,
e Ele deve sempre conduzi-lo em direção à Sua vontade".


"Segunda qualidade:
De vez em quando eu preciso parar o que estou escrevendo,
e usar o apontador.
Isso faz com que o lápis sofra um pouco, mas no final,
ele está mais afiado.
Portanto, saiba suportar algumas dores,
porque elas o farão ser uma pessoa melhor."


"Terceira qualidade:
O lápis sempre permite que usemos uma borracha
para apagar aquilo que estava errado.
Entenda que corrigir uma coisa que fizemos
não é necessariamente algo mau, mas algo importante
para nos manter no caminho da justiça".


"Quarta qualidade:
O que realmente importa no lápis não é a madeira
ou sua forma exterior, mas o grafite que está dentro.
Portanto, sempre cuide daquilo que acontece dentro de você."


"Finalmente, a quinta qualidade do lápis:
ele sempre deixa uma marca.
Da mesma maneira, saiba que tudo que você fizer na vida,
irá deixar traços, e procure ser consciente de cada ação".





E hoje em dia? Podemos pensar na história do teclado? Há quanto tempo você não escreve uma carta à mão para um amigo ou família?



A História do Teclado

O pai olhava o filho digitando no computador. 
A certa altura, perguntou: 
- Você está escrevendo uma história que aconteceu conosco? 
E por acaso, é uma história sobre mim? 
O filho parou, franziu a testa e esbravejou com o pai: 
-Claro que não estou escrevendo sobre você. Estou conversando com amigos no MSN. 
Entretanto, mais importante que as palavras, é o teclado que estou usando. 
Gostaria que você fosse como ele, sempre.
O pai olhou para o teclado, intrigado, e não viu nada de especial.
 -Mas suas teclas são iguais a todas que vi em minha vida! 
-Tudo depende do modo como você olha as coisas. 
Há cinco qualidades nele que, se você conseguir mantê-las, será sempre um cara  maravilhoso.  


"Primeira qualidade: 
Você pode saber grandes coisas, mas não deve esquecer nunca que existe uma Mão que guia seus passos. 
Esta mão nós chamamos de Google e é só você digitar no seu navegador. 
Ele deve sempre conduzi-lo em direção à vontade Dele".  


"Segunda qualidade: 
De vez em quando eu preciso parar o que estou escrevendo, deixar o teclado de lado e usar a webcam. 
Isso faz com que você possa usar suas mãos para comer alguma coisa
e não precise se desconectar de seus amigos virtuais. 
Deixe o mundo girar lá fora, você não precisa dele”.  


"Terceira qualidade: 
O teclado sempre permite que usemos o backspace para apagar aquilo que digitou.
Portanto, não tenha medo de falar o que pensa, nem de ofender as pessoas. 
É simples: digite aquilo que realmente você queria falar, só não precisa dar ENTER”.  


"Quarta qualidade: 
O que realmente importa nas teclas não são seus conectores internos, 
mas a indicação das letras impressas nelas. 
Portanto, sempre cuide de sua aparência física, 
se precisar recorra à cirurgias plásticas e tratamento estéticos”.  


"Finalmente, a quinta qualidade do teclado: 
Ele sempre te permite usar o Ctrl + Z e desfazer uma ação. 
Da mesma maneira, não se preocupe se tiver atitudes desrespeitosas com alguém ou algo do tipo, 
você certamente conseguirá reverter a situação e continuará sendo seu amigo no Orkut”. 


É, depois dessas reflexões, esse blog corre sérios riscos.
Acho que preciso de umas tantas folhas de papel e um lápis.







3 comentários:

  1. Amigooo....

    Prefiro o texto a Historia do Lápis. Mesmo estando no mundo da história do teclado, prefiro acreditar nas amizades verdadeiras e não nas virtuais...prefiro acreditar que temos um grande networking e colegas virtuais e muitos amigos na vida e pessoalmente...

    O texto é muito bonito...e como te disse....Sou fã do Paulo Coelho. Sugiro que leia o Alquimista, nele tem uma frase q ao: "Quando você quer alguma coisa, todo o universo conspira para que você realize seu desejo!"

    Boa sorte sempre e todos os dias!

    Bjs
    Paulinha =)

    ResponderExcluir
  2. Ahhh... cala a BOCA moleque!

    hahahahha


    maneiro os textos! mas prefiro o do teclado... hehehe

    ResponderExcluir
  3. Aiiiiiii, gente, pára 5 minutos da tua vida e atualiza essa bagaça! Quero noticias.....Afinal, preciso da sua versão para o jogo de futebol com os chineses! kkkkkkkkkkkkk beijos

    ResponderExcluir

Digo a Bordo!

"Ao retornar de uma viagem, não sei se o mundo diminuiu ou eu é que cresci."

Quer sugerir um destino? Tirar Dúvidas? Ou somente elogiar mesmo?
Escreva para rodrigofranco@digoabordo.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...